sexta-feira

O sindicato dos Jornalistas do Amapá mudou de endereço:
Rua Claudomiro de Moraes, 249 altos Buritizal
Fica na esquina da TV Amapá, nos altos do prédio do Nando Motos
Telefone: 91538136
Nota oficial04/04/2013 | 12:30
Valorizar o trabalho dos jornalistas e o direito da sociedade à informação

http://www.fenaj.org.br/materia.php?id=3821
Valorizar o trabalho dos jornalistas e o direito da sociedade à informação Na semana em que se comemora o Dia Nacional do Jornalista, 7 de abril, a Federação Nacional dos Jornalistas saúda a categoria e convoca a sociedade brasileira a cerrar fileira na luta em defesa do jornalismo ético e de qualidade. Não é possível assegurar o direito de todos à informação, a defesa das liberdades de expressão e de imprensa, dos direitos humanos e da democracia sem a devida valorização da profissão de jornalista. Inegavelmente, os jornalistas deram importante contribuição para a derrocada do período de exceção e terror instalado em 1964 e que, por mais de 20 anos, tentou calar milhões de vozes que clamavam por liberdade e democracia. Muitos jornalistas tombaram na luta para manter erguidas tais bandeiras. Não foi em vão.

terça-feira

Sindjor repudia violência contra jornalistas em assembleia do SINSEPEAP




O Sindicato dos Jornalistas do Amapá, o Sindjor, repudia a ação de alguns membros do Sinsepeap que usaram de  violência e truculência para impedir o trabalho de  profissionais da imprensa.  Os jornalistas, no exercício da profissão, tem  o interesse de cobrir a assembleia dos professores para  informar a sociedade sobre os rumos desta greve, que já dura quarenta e sete dias. Situação que  deixa centenas de pais e alunos aflitos e   ávidos por informações.  A decisão dos professores sobre continuar ou não com o movimento  reflete diretamente na vida da população.

Agredir verbalmente, fisicamente os jornalistas  para impedir o trabalho é tentar calar  liberdade de expressão. O SINDJOR entende que a ação arbitrária não partiu de todos que participavam da assembleia e sim de alguns membros da comissão de negociação do SINSEPEAP. Pessoas que representam uma categoria que deveriam  dar exemplo de educação, cordialidade e bom senso.  O estado de greve é um direito do trabalhador, mas não pode ultrapassar limites que resultem neste fato lamentável.  É coerente acrescentar também que esta situação ocorrida hoje (06.06.12) não foi a primeira vez que jornalistas foram coagidos,   no exercício do trabalho, desde que os professores entraram em greve.

O SINDJOR  orienta aos jornalistas que foram agredidos fisicamente ou verbalmente por membros do Sinsepeap,  que procurem a polícia e  registrarem ocorrência.

O SINDJOR  também convoca os trabalhadores que sofreram algum problema que procurem  a sede do Sindicato . Precisamos do seu relato  para que possamos tomar outras  providências.  A sede do sindicato fica na Avenida Mendonça Júnior, 2647 A. Como amanhã é feriado os colegas podem mandar seus relatos para o  email simoneguimaraes2@yahoo.com.br para que possamos ficar cientes do número de trabalhadores ofendidos e agredidos.

Simone Guimarães
Presidente do Sindicato dos Jornalistas
Macapá,06 de junho de 2012.

quinta-feira

Frente Parlamentar em Defesa do Piso Nacional dos Jornalistas é lançada em Brasília


Valorização da profissão01/06/2012 | 16:59
 
Com a participação de dirigentes da FENAJ e de 15 Sindicatos de Jornalistas, foi instalada oficialmente na última quarta-feira (30/05/2012), em Brasília, a Frente Parlamentar em Defesa do Piso Nacional dos Jornalistas. Na solenidade, realizada no Salão Verde do Congresso Nacional, foi lançada uma campanha pela aprovação do PL 2960/11, de autoria do deputado André Moura (PSC/SE), que prevê o estabelecimento de um piso nacional para categoria, equivalente a 6 salários mínimos e reajustado anualmente pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), para uma jornada de 30 horas semanais.

Além do presidente da FENAJ, Celso Schröder, de diretores da Federação e de lideranças do movimento sindical dos jornalistas nos estados, diversos parlamentares participaram do ato, entre eles a senadora Ana Amélia (PP/RS), o senador Eduardo Amorim (PSC/SE) e os deputados federais Décio Lima (PT/SC), Arnaldo Jordy (PPS/PA), Chico Lopes (PCdoB/CE), Erika Kokay (PT/DF), Domingos Dutra (PT/MA), Geraldo Resende (PMDB/MS), Fátima Bezerra (PT/RN), Paulo Pimenta (PT/RS), Cláudio Puty (PT/BA), Mauro Nazif (PSB/RO) e Keiko Ota (PSB/SP).

O deputado André Moura, líder do PSC e presidente da Frente Parlamentar, ressaltou a importância desta luta, que, segundo ele, “será difícil, mas muito justa e necessária para os jornalistas e para o País”. Respaldando a iniciativa, o presidente da FENAJ disse que o reconhecimento ao importante papel social desempenhado pelos jornalistas começa também com um salário digno.

Falando em nome dos Sindicatos de Jornalistas, a presidente do Sindicato de Sergipe (Sindijor/SE), Carolina Rejane Santos, convocou os parlamentares para a luta pelo piso nacional e também pela defesa do diploma, com a aprovação da PEC 33/2009.
http://www.fenaj.org.br/materia.php?id=3623

domingo

TV Amapá ignora convocação do Ministério do Trabalho e não comparece para negociar com jornalistas



A TV Amapá, empresa integrante do grupo Rede Amazônica da Rádio e Televisão, afiliada da Rede Globo, simplesmente ignorou a convocação feita pela Superintendência Regional do Ministério do Trabalho e Emprego, para a primeira rodada de negociação do Acordo Coletivo de trabalho 2011 com os jornalistas da emissora. A mesa de negociação foi proposta pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Amapá – Sindjor/AP e deveria ter acontecido na tarde da quarta-feira, 19/10.
A ausência do patronato denota, mais uma vez, o descaso da emissora com a categoria. Para a diretoria do Sindjor, a ausência da direção de emissora é vista como uma falta de respeito não só com a categoria, mas também com o Ministério do Trabalho.
A definição de um piso salarial para os jornalistas amapaenses é uma luta antiga do Sindjor. A Campanha Salarial 2011 foi deflagrada no dia 21 de agosto, quando os jornalistas da emissora, em Assembleia Geral , decidiu exigir a implantação do plano de cargos e salários com pisos salariais que variam de 2 mil 725 reais a 4 mil 87 reais e 50 centavos .
Na reunião, a categoria autorizou a diretoria do Sindjor a ingressar com dissídio coletivo, caso a direção da emissora não se disponha a dialogar. “Não queremos chegar a esse ponto. O diálogo e o entendimento são os melhores caminhos. Mas se isso não for possível, não hesitaremos de levar à questão até a última instância”, observou o presidente do Sindjor/AP, Volney Oliveira.

Paulo Pimenta é o novo coordenador da Frente Parlamentar em Defesa do Diploma


 A luta continua
Em nova reunião realizada nesta quarta-feira (19), a Frente Parlamentar Mista em Defesa do Diploma de Jornalismo elegeu sua nova mesa diretora. A presidência ficou com o deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS) e a vice-presidência com a deputada federal Rebecca Garcia (PP-AM). Contrariando expectativas, a PEC 33/09 não foi a voto no Senado. Parlamentares e entidades integrantes da Campanha em Defesa do Diploma desenvolvem novo esforço para incluir a matéria em uma das três sessões deliberativas do Senado previstas para os dias 25, 26 e 27 de outubro.

Em reunião realizada no plenário 5 da Câmara dos Deputados, às 18 horas, a Frente Parlamentar Mista, que já conta com mais de 200 adesões, elegeu o deputado Paulo Pimenta (PT/RS), autor da PEC 386/09, como seu presidente. Autora do pedido pela criação da Frente, a deputada federal Rebecca Garcia (PP-AM) assume a vice-presidência.

fonte: